sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Atividades Experimentais do Grupo Somos Nós

A germinação

Observação de como nascem e se desenvolvem as plantas com a experiência da plantação das sementes de feijão.
Passo-a-passo
Num copinho ou fundo de uma garrafa pet, colocar um pedacinho de algodão e um ou dois grãos de feijão. Molhar com um pouquinho de água.
Todos os dias colocar água e levar o feijãozinho para ficar no Sol.
Ao final do quinto dia os feijões já estarão germinados.


A absorção da água pelos vegetais


Passo-a-passo
Utilizando flores brancas, água e corante vermelho, os alunos podem realizar uma experiência para observar as estruturas vegetais envolvidas no transporte da água para as diversas partes da planta.
Depois de algum tempo imersas na solução, as flores brancas adquirirão uma coloração avermelhada, evidenciando o transporte através do caule.

A clorofila



Passo-a-passo
Os alunos colocam folhas de vegetais de diferentes formas, cores e tamanhos em recipientes e esmagam as folhas com o auxílio de uma espátula.
Depois, adicionam álcool em cada recipiente, passando seu conteúdo para os frascos próprios.
Ao final, todos podem perceber a clorofila presente nas folhas dos vegetais observando a cor deixada no álcool.


O Óleo e a Água se misturam?


Passo-a-passo
Os alunos colocam um pouco de água e de óleo de cozinha num pote transparente.
Fecham com tampa e agitam bem o pote;
O que acontecerá? Quando abaixarem o pote, o óleo e a água vão se separar em duas camadas.
Logo depois, orientar que acrescentem umas gotas de detergente e agitem o pote novamente.
O que acontecerá? Produzirá uma mistura turva.
Porque acontece: O sabão do detergente divide o óleo em pequenas gotas, que flutuam na água, fazendo-a parecer turva. É assim que o detergente ajuda a remover a gordura de pratos e panelas.
Curiosidade: Para manterem suas penas impermeáveis, os pássaros espalham sobre elas um óleo produzido por uma glândula especial.
Após a experiência é fundamental o debate sobre a mesma e o registro individual do aluno.


Copo cheio de cabeça para baixo não derruba água













Passo-a-passo
Encha um copo com água até a borda e coloque sobre ele um pedaço de papel. de modo que o papel grude nas bordas do copo. Observe também que entre o papel e a água não fique nenhuma bolha de ar. Firme o papel com a palma da mão e vire o copo de boca para baixo com a mão segurando o papel. Retire, devagar, a mão debaixo do papel. A água contida no copo não cai. Por que o cartão permanece no lugar? Incline o copo para os lados e observe se a tampa continua presa. A pressão atmosférica no papel é maior que a força exercida pela água.

Experiências do grupo "EU e DEUS".



" Educar não é apenas ensinar a dizer por favor, obrigado. Educar é proporcionar vivências, tornar possíveis as experiências e fazer com que um dia de aula, seja especial einesquecivel."



É possivel que você, professor, torne cada aula uma experiência inesquecível! O prazer de estar numa aula e poder participar de uma experiência, torna a aula mais dinâmica e prazerosa...



Existe ar no copo?



Material necessário:

1 vela média.

1 copo de vidro.

1 fósforo.

1 pires.

Procedimentos:

1) Acenda a vela e deixe escorrer um pouco de cera no pires. "Cole" a vela na cera.

2) Com a vela acesa, coloque o copo de vidro com a boca virada para baixo e observe.

O que acontecerá...

- Em pouco tempo, a vela irá se apagar totalmente. Isso ocorre pois o oxigênio que está dentro do copo se acaba, logo pode-se concluir que o fogo é alimentado pelo oxigênio.

Conteúdos que poderão ser trabalhados em sala de aula:

- O ar existe?

- Por que a vela se apagou?

- O que é combustão?

- Que condições são necessárias para que haja a combustão?

- Combustão: combutível e comburente.

- O ar que existia inicialmente é o mesmo de agora?

Observações: Essa é uma atividade que exige cuidado! A criança deve ser bem orientada e é uma ótima atividade para ser realaizada com o 5º ano (antiga 4ª série).



Terrário de Fungos



Material necessário:

1 recipiente limpo (como pote de maionese de vidro ou plástico).

Fita adesiva.

Água.

Restos de alimentos como pão, frutas, legumes, verduras, biscoistos etc.

Caderninho e lápis para anotação.

Procedimentos:

1) Cortar os alimentos em pedaços que caibam dentro do recipiente.

2) Mergulhe todos os alimentos dentro d'água.

3) Arrume os alimentos dentro do recipiente de forma que fiquem próximos, mas não empilhados.

4) Todos os dias, os alunos devem observar seus terrários e fazer anotações sobre como estão ficando a aparência de seus alimentos.

O que acontecerá...

- Em alguns dias os alimentos começarão a apodrecer e ficar realmente nojentos! Os alunos irão observar os diversos tipos de fungos que aparecerão.

Conteúdos que poderão ser trabalhados em sala de aula:

- Os fungos.

- Tipos de fungos.

- Nem todos os fungos são comestíveis.

- Alimentação: cuidado com o prazo de validade!

Observações: Ao final da atividade, os alunos terão anotações interessantes sobre os fungos. É interessante que eles falem sobre suas anotações. Oriente-os a não abrir os recipientes pois o odor será terrível! O 4º e 5º anos (antigas3ª e 4ª séries) acharão a experiência bem interessante!



A flor colorida

Material necessário:

Rosas brancas ou cravos brancos (cravos ficam coloridos mais rápido).

Corante azul ou vermelho.

Copos de vidro.

Água.
Procedimentos:

1) Coloque a água no copo om bastante corante.

2) Com cuidado, corte o caule das flores para que fiquem com aproximadamente 10 centímetros.

3) Coloque as flores no copo e observe.

O que acontecerá...

- As pétalas ficarão com a coloração diferenciada, aguarde um pouco mais e a flor ficará totalmente pigmentada com a cor escolhida.

Conteúdos que poderão ser trabalhados em sala de aula:

- As plantas.

- Como as plantas se alimentam?

- Como as pétalas mudam de cor?

Observações: Turmas como o 2º ano (antiga 1ª série) vai adorar observar a mudança de cor de suas flores!


Cuidado! Vai transbordar!

Material:

1 copo limpo.

Água.

1 conta gotas.

1 palito de dente.

Detergente.

Vários clips de papel.

Corante de alimento opcional.

Procedimentos:

* O corante na água deve ser posto antes se desejado.

1) Coloque água no copo com cuidado ate quase transbordar (como na imagem acima).

2) Pingue detergente na ponta do palito e espete o palito na superfície da água.

- A água transborda da lateral do copo e a superfície da água fica no nível da borda do copo.

3) Recoloque a água e, agora, coloque um clip de papel por vez e observe.

O que acontecerá...

- A água não irá transbordar e ficrá acima do limite normal.

Conteúdos que podem ser trabalhados em sala de aula:

- As moléculas.

- Ligações entre moléculas.

- Oxigênio e hidrogênio.

-As cargas positivas e negativas.

Observações: É uma experiência simples mas que "alimenta" diversas questões de ciências. O 9º ano (antiga oitava série) é uma turma boa para se fazer isso.


O ovo que afunda e o ovo flutua!



Material:

2 ovos crus.

2 copos transparentes.

Água.

Sal.

Fita crepe.


Procedimentos:

1) Marque um d os copos com fita crepe. O que estiver com fita irá levar sal.

2) Encha os dois copos de água igual, de forma que a água cubra o ovo. No opo marcado, coloque duas colheres de sal.

3) Coloque um ovo em cada copo e observe.

O que acontecerá...

- O ovo colocado no copo com água sem sal, afunda. O ovo colocado na água com sal bóia. Isso acontece por causa da densidade da água, logo a água com sal tem mais densidade que a água sem sal.

Conteúdos que podem ser trabalhos em sala de aula:

- Densidade.

- Noções de quantidade (volume, peso etc).

Observações: Pode-se realizar esta experiência com alunos do 5º ano (antiga 4ª série) em diante. Quanto maior o ano/série, mais assuntos a serem explorados!

Boas experiências!

Feliz Natal!!!

Beijos, Janaina, Kátia, Lorene e Aline.




































AULA PASSEIO NA FAZENDINHA EM ITAIPAVA:



TURMAS: 1º AO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
OBJETIVO: Proporcionar aos alunos uma vivência rural, uma experimentação prática, para fixar conhecimentos através de observação dos saberes e aprendizado do ano em Ciências Naturais, levando em conta a interdisciplinaridade.
CONTEÙDO: noções de biologia, ecologia, história, geografia, zoologia, veterinária, ciências sociais
DURAÇÂO: um dia inteiro preferencialmente saindo cedo do Rio de Janeiro com destino à Petrópolis e depois Itaipava at´e as 8:00 da manhã e voltando por volta de 18:00 hrs.
LOCALIZAÇÂO: KM 12 da rodovia Petrópolis-Terezópolis portão è esquerda direto na estrada: Fazenda dos Nove. Situado logo após a entrada do Vale da Boa Esperança e do Cuiabá

recomendações para levar na "viagem" :
- cantil com água ou garrafas de mineral ou bebida da sua preferência
- mochila com roupa de banho e toalha
- repelente e filtro solar
- chapéu ou bone
- bota ou tênis
- calça comprida para os que irão montar a cavalo
- sandália de dedo


PARA VISUALIZAR TODOS OS SLIDES DA AULA PASSEIO CLIQUE AQUI

Por que o submarino afunda e o barco não?

Cristiane Feitosa Americano
Gisella Bezerra de Mello
Rosane Barbosa Marendino
Rosilene Pereira Barrento da Silva

Conteúdos: Flutuação e Empuxo.
Público alvo: 5º ano
Material:
*Um submarino que pode ser construído com um pequeno frasco plástico.
*Um bocal de plástico (para cada aluno), pode ser adaptado um canudo plástico.
*Um recipiente (balde) com água
*Um vidro

Desenvolvimento:
Colocar um copo de vidro em pé num recipiente com água, ele boiará: o volume de ar no interior dele é mais leve que o equivalente em água. O mesmo acontece com o navio, feito de metal, mas cheio de ar. Se o ar do interior do copo escapar, a água ocupará o espaço e o copo afundará. É o que ocorre com o submarino.

Permitir às crianças oportunidade de levantarem hipótese e testá-las. O professor deve percorrer os grupos, observar o que realizam, perguntar se entenderam o que é para fazer e/ou pedir que contem o problema que tem para resolver.

A medida que o problema de flutuar e afundar vai sendo resolvido, pode sugerir às crianças que descubram uma maneira de fazer o submarino ficar parado no meio do caminho, entre o fundo da bacia e a superfície da água, isto é, nem afundar nem flutuar. É importante que as crianças sejam encorajadas a refletir sobre o que estão fazendo.

Explicar que, quando os tanques de lastro estão cheios de ar, o submarino bóia. Para submergir, o ar é solto por aberturas superiores e a água ocupa o seu lugar
Para voltar à tona, compartimentos interiores liberam ar comprimido, que faz pressão para a água sair dos tanques de lastro.

O ar é pesado?


Cristiane Feitosa Americano
Gisella Bezerra de Mello
Rosane Barbosa Marendino
Rosilene Pereira Barrento da Silva

Objetivo: Verificar que o ar tem peso

Público Alvo: 5ª série

Introdução : Nós devemos entender as propriedades do ar, essa substância que não podemos ver, mas que é vital para nossa sobrevivência.Nós sabemos e podemos facilmente demonstrar que o ar pode ser sentido, ocupa espaço, tem peso, exerce pressão e pode se expandir.

Material
*balões
*fio
*vareta
*fita adesiva

Montagem: Enfie dois balões a um mesmo tamanho. Amarre cada bico com um fio, fazendo um laço. Prenda com uma fita adesiva, pelo lado inverso ao bico, a uma vareta - um balão em cada ponta. Suspenda a vareta pelo centro de modo que os dois balões fiquem equilibrados na horizontal.



Procedimento: Um aluno pode segurar na frente da classe de modo que todos possam ver os balões equilibrados na 'balança'. Desfaça o laço de um dos balões, deixando o ar sair. O balão inflado irá inclinar a vareta para baixo porque é mais pesado do que o balão sem ar.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Experimentos expressos - Fé em Deus

Experiência 2 - O ar ocupa espaço

Material: canudo e bacia com água.

Desenvolvimento: Coloca-se o canudo dentro da bacia com água e assopra-se. Pede-se para que o aluno observe e diga o que acontece com a água e em que momentos; solicita-se que o aluno relacione a movimentação da água com a presença ou ausência do ar.

Experiência 3 - A planta necessita de ar

Material : Uma caixa de sapatos vazia; 2 copos; algodão´molhado; grãos de feijão.

Desenvolvimento: Coloca-se o algodão molhado dentro dos copos e, por cima coloca-se o grão de feijão. Um dos copos é colocado dentro da caixa de sapato e o outro é colocado em cima de uma bancada com luz. Após uma semana os alunos retiram a semente que estava na caixa fechada e comparam o crescimento da semente que estava na caixa com o da semente que estava na bancada. Os alunos analisarão quais fatores interferiram no resultado.


Experiência 4 - Observando células

Material : dois pratos, um ovo e uma tangerina.

Desenvolvimento : Separa-se a clara da gema do ovo e utiliza-se a gema. Descasca-se a tangerina, separa-se seus gomos e e retira-se a película ue os envolve. Cuidadosamente , retira-se cada filamento e faz-se a observação, distinguindo as características de cada um dos elementos e, analisando se trata-se de células macro ou microscópicas.

Experiência 5 - Iniciando uma erupção vulcânica

Material: Argila, papelão, limão e bicarbonato de sódio

Desenvolvimento: Faz-se sobre o papelão uma montanha de argila vasada no meio. coloca-se um pouco do bicarbonato nesta cavidade. Extrai-se o suco do limão e coloca-se sobre o bicarbonato , até encher a montanha. Especula-se , então, o que acontecerá, e observa-se a reação. Discuti-se que efeito um agente teve sobre o outro.