quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Laboratório do Dexter - Projeto "Nosso melhor amigo"



Grupo "Laboratório do Dexter" - Alessandra Luz, Elaine Miranda, José Carlos e Luciana Carvalho.


Trabalhando com seres vivos na Educação Infantil e nas primeiras séries do Ensino Fundamental - Projeto "Nosso melhor amigo"


Objetivo

Observar o crescimento e desenvolvimento de um ser vivo dentro do ambiente escolar, fazer com que os estudantes interajam com o animal escolhido, desenvolvendo as habilidades e competências sociais necessárias para lidar com o novo "amigo", bem como o cuidado, o manuseio correto, dentre outros.

Trabalhar conceitos de ecologia e preservação ambiental.


Conteúdo

Animais na Educação Infantil e nas primeiras séries do Ensino Fundamental.


Duração

Todo o ano letivo.


Nível da turma

Educação Infantil e Séries iniciais do Ensino Fundamental.


Material

Um animal de pequeno porte para cada turma (coelho, hamster/pequenos roedores, peixes, chinchila, preá, periquitos/calopsitas/psitacídeos de pequeno porte, dentre outros).

Alimentos e equipamentos necessários ao bem estar animal.

Convênio com equipe veterinária para atendimento de rotina, emergências e eventuais palestras sobre cuidados com os animais da escola.



Sugestões

As atividades de cuidado, troca e manuseio do animal devem ser praticadas por todos os alunos, em sistema de revezamento, sempre auxiliados pelo professor de ciências. As visitas de rotina do veterinário (para vacinação, tratamento, etc) deverão ser acompanhadas por todos os alunos ou por grupos pequenos, caso a turma seja grande. A interação dos alunos com o ser vivo devem ser observadas com cautela pelos professores, a fim de evitar transtornos físicos ou mal estar ao animal. Caso ocorra doença ou morte do animal, tais fatos poderão ser trabalhados com as crianças, em conjunto com a Orientação Pedagógica ou com os Psicólogos da escola.


Atividades extra classe


Visitas a Clínica Veterinária, com o novo "amiguinho" da turma.

Visitas a Pet Shop locais, para compra de alimentos e demais suprimentos do animal.

Palestras e Visitas a entidades não governamentais, como a SUIPA, para uma conversa sobre os animais abandonados ou mal-tratados por seus donos.

Visita ao Zoológico local, para conhecer os outros seres vivos do Reino Animal.


Registrando

· Os alunos podem registrar as atividades através de diários, contendo desenhos e fotografias do animal, em conjunto ou não com o professor de artes (pode ser adaptado para os pequenos da Educação Infantil).

· Montar gráfico de acordo com os dados coletados, em conjunto ou não com o professor de matemática (para os alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental).

· Redigir as observações, em conjunto ou não com o professor de português (para os alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental).

· Exposição dos registros no mural da escola, em um dia de visitação aberto à toda comunidade escolar.


2 comentários:

O Laboratório do Dexter disse...

(Alessandra Luz) Espero que gostem do projeto com animais... Soube que algumas escolas norte-americanas e européias o fazem. Acredito que seria válido para começarmos a conscientizar os pequenos de que, como diria Saint Exupèry: "somos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos".

carlos disse...

Este trabalho deveria também, valorizar: liberdade, consciência e ética. Explicar da necessidade cientifica de ainda necessitar aprisionar animais para pesquisa, contudo, lutar contra a criação de animais em cativeiros, como os zoológicos que conhecemos, ou as gaiolas, onde pássaros e outros animais vivem aprisionados. Desenvolver a afetividade, nas crianças, por todo ser vivo, começando pelas singelas, formas de vida, até chegar à humana, ressaltando, a responsabilidade do homem frente aos desafios de manutenção dos ecossistemas para a preservação das diferentes formas de vida, em seus habitats naturais.
Levar a compreensão que, outras formas de vida, não estão para nos servir, mas, para conosco, de forma simbiótica, compartilhar a vida, através do auxilio mutuo, garantir o equilíbrio ecológico. E, assim, ensinar a valorizar a vida em todas as suas manifestações, sem querer tirar proveito psicológico ou degustativo, dos indefesos animais, e, sim, permutar experiências de estratégias de sobrevivência, na biosfera, através do auxilio mutuo.